Home » Notícias » Ministério Publico de Justiça recebe famílias afetadas com a falta de água em Barras e instaura processo contra os gestores.

Ministério Publico de Justiça recebe famílias afetadas com a falta de água em Barras e instaura processo contra os gestores.

Ministério Publico de Justiça recebe famílias afetadas com a falta de água em Barras e instaura processo contra os gestores.

Nesta terça-feira (19/12) uma comissão das famílias afetadas com a falta de água da Vila Exu ligadas ao bairro São Cristóvão e outras famílias de vilas urbana do município de Barras, foram recebidas em audiência pelo Exmo. Promotor de Justiça de Barras, Dr. Glécio Setúbal, que na oportunidade comunicou o andamento das investigações e diligencias determinadas no corpo dos autos do Inquérito Civil Publico, esteve presentes os vereadores Jovelina Furtado e Antônio Leite, que acompanharam as famílias na audiência realizada na sede da promotoria onde relataram a crise hídrica em vivem mais de 30 famílias na vila EXU e também a falta de água potável que não está sendo fornecida pela AGESPISA, durante a audiência também se fez presente o representante da Agespisa sr. Raimundo, que falou da crise em que passa a entidade para conseguir distribuir água em Barras. Observe que o litro ao centro na mesa da reunião não é suco, mas uma mostra da água que as famílias estão consumindo na Vila Exu em Barras.

Durante a audiência o Promotor de Justiça falou sobre as medidas jurídicas que está instaurando contra os órgãos responsáveis do Estado Agespisa e do município de Barras, para agilizar de forma urgente o fornecimento de água. Vale lembrar que esta semana o Estado do Piauí anunciou recursos no valor de R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais) pela FUNASA para o sistema de tratamento de água no município de Pedro II seria importante e necessário que as autoridades tivessem atenção com urgência para com o município de Barras.

Enquanto isso o Ministério Público de Justiça abriu Inquérito Civil Publico de Nº 09/2017 cujo objetivo é a apuração das causas e responsabilidades sobre a falta de fornecimento e qualidade da água da Agespisa em Barras, contra Agespisa, Prefeitura Municipal, DUVAS-Diretoria de Unidade de vigilância e Atenção a Saúde. Entre as medidas adotadas pelo Promotor de Justiça de Barras, será encaminhada oficio requerendo a urgência solução da água para as famílias da Vila Exú, e abertura da Ação Civil Publica em que pedirá multa diária no valor de R$:(10.000,00) por dia, e a suspensão dos pagamentos de cobranças dos talões aos e a retirada dos nomes dos consumidores do SERASA e SPC pela falta de fornecimento dos serviços de abastecimentos regular de água aos consumidores em Barras.

 


Sobrinho Sobrinho

Deixe um comentário