Home » Barras » Ministério Público pede interdição imediata da Delegacia de Barras

Ministério Público pede interdição imediata da Delegacia de Barras

Por meio do promotor de Justiça Glécio Setúbal, da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Barras, o Ministério Público do Piauí ajuizou Ação Civil Pública contra o Estado do Piauí em relação à delegacia do município. O órgão ministerial solicitou a interdição imediata do local até que o Governo realize as melhorias necessárias na delegacia.

“As celas não possuem a menor condição de receber um ser humano, estão sujas, não possuem banheiro e nem local adequado. A delegacia está sem escrivão e há uma deficiência de efetivo policial. As instalações hidráulica e elétrica estão em péssimas condições e o Estado vem se omitindo em tomar providências”, comenta Glécio Setúbal. Ainda de acordo com a ação, os eventuais custodiados do local deverão ser transferidos para a Penitenciária de Esperantina ou outro local apropriado. O Estado do Piauí tem 72 horas a partir da decisão judicial para apresentar justificativa.

A câmara de vereadores de Barras aprovou requerimentos e ofícios, solicitando ao Estado e município apoio e mais efetivos, escrivães para delegacia de Barras, além de relacionar os números das disparidades atuais entre os vizinhos municípios de Barras (01) delegado e nenhum escrivã   e Campo Maior (3) delegado (6) escrivãs e a diferença populacional entre Barras e Campo Maior e de apenas de quase 30 pessoas.

 


Sobrinho Sobrinho

Deixe um comentário